Variedades

Todos querem a vitória!

Há exceções, eu sei, mas digo sem medo de errar que a maioria da população brasileira vibra com a Copa do Mundo. Mesmo quem não entende muito de futebol e não conhece todos os jogadores, como eu, se emociona, torce, comemora, lamenta. É bonito ver os vizinhos se reunindo para decorar as ruas com bandeirolas e pinturas, e é emocionante andar pela cidade e notar as bandeiras estendidas nos prédios. Durante a Copa, o clima muda, as pessoas ficam mais animadas, riem e se confraternizam. É contagiante.

Longe de querer ser pessimista, a Copa acaba. E com o fim dela, as bandeiras são retiradas e guardadas no quartinho da bagunça; os vizinhos deixam de ter tempo para se sentar juntos; e já não há mais tantos motivos para confraternização e risos gratuitos.

brazuca-chute

A alegria que Deus tem para os homens, entretanto, não dura apenas trinta dias. Estar com Ele é o ápice da felicidade, e o desejo do Senhor é que desfrutemos da sua gloriosa presença todos os dias do ano, vinte e quatro horas por dia. O salmista sabia qual era a fonte do prazer, ao declarar: “Então irei ao altar de Deus, a Deus, que é a minha grande alegria, e com harpa te louvarei, ó Deus, Deus meu” (Salmo 43:4).

Na Copa do Mundo, todas as seleções querem a vitória, mas há apenas uma taça. Os demais voltam para casa de mãos abanando, ansiosos pelo campeonato que virá em quatro anos. Na “copa espiritual”, porém, tem vitória para todos. Eu ainda não contei, mas a Bíblia cita a palavra vencer (e afins) diversas vezes, como em Romanos 8:37, que diz: “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou”; ou em 1 João 5:5: “Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?”

Há vitória para todos quantos a desejarem, para todos aqueles que escolherem crer que Jesus é o Filho de Deus.

O apóstolo Paulo, sabendo do poder que os esportes têm de comover os corações, fez esta comparação aos coríntios: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível” (1 Co. 9: 24 e 25).

Eu estou na torcida para que o Brasil levante mais uma vez a taça tão desejada. Mais do que isso, torço, oro, clamo, para que o povo brasileiro escolha correr (viver) para alcançar uma vitória que não perde o valor com o tempo, uma coroa eterna, ao lado daquele que já venceu todas as coisas por nós.

 

Por Pollyana Rocha, membro da AD Cidade (Sede)

Compartilhe

Deixe seu comentário