Artigos, Notícias

Leitura Bíblica – Dúvidas da Semana #6


Em Marcos 2.9 quando Jesus fala: “Que é mais fácil dizer ao paralítico: Os seus pecados estão perdoados, ou: Levante-se e ande?” Eu entendo que Jesus quis apenas dizer que os pecados do paralítico estavam perdoados, mesmo tendo o poder de curá-lo e fazer ele levantar e andar como mesmo fez! Mas eu acredito que Jesus quis dizer que seus pecados estavam perdoados em vez de curá-lo totalmente, porque Jesus queria ver a fé daquela multidão, acredito que Jesus queria que eles cressem mesmo sem ver, Jesus queria que eles acreditassem e valorizassem Ele e o que estava dizendo sem que eles vissem , mas somente pela fé! Pois se Jesus curasse o paralítico fazendo-o andar todos iam ver e já não seria mais fé! Jesus falou isso porque Ele valoriza a fé e sem fé é impossível agradar a Ele! Acredito que podendo fazer qualquer coisa, Jesus decidiu naquele momento apenas perdoar o pecado do paralítico, e vê a fé do povo! Mas por causa dos mestres da lei que duvidaram de Jesus, Ele fez questão de curar também o paralítico, além de perdoar os seus pecados, para que todos vissem que o Filho do homem tem autoridade para perdoar pecados na terra! É isso?
Resposta: Considere atentamente a cena. O público é judeu, o homem é paralítico, ele espera a cura, sendo ele judeu considera que seus pecados são expiados através dos sacrifícios oferecidos no templo. Portanto, embora o Jesus esteja predisposto a realizar o milagre, a frase “perdoados estão os teus pecados” (v.5) tem o propósito de suscitar a discussão com os escribas que estão assentados (v.6) sobre a autoridade de Jesus para perdoar pecados. Esse propósito logo é alcançado conforme podemos ver nos vv. 7 e 8. Assim sendo, Jesus avança na discussão e questiona: “Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda?.”

Observe que a ênfase está na palavra “dizer” que Jesus repete: “Qual é mais fácil? dizer (…) ou dizer-lhe…” o que está em pauta é apenas a declaração e, os escribas percebem que foram colocados numa encruzilhada: o que responderemos? se, dissermos ‘estão perdoados os teus pecados’, então por que arrazoamos que era blasfêmia? se, dissermos ‘Levanta-te, e toma o teu leito, e anda’, por que não declaramos ao paralítico!? Então, eles não respondem nada e, Jesus arremata: “Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa (vv. 10,11).

E assim, Jesus não só atende ao paralítico, como deixa claro para todas aquelas pessoas Sua autoridade para perdoar pecados (v.12).

Quando Jesus disse em Marcos 2.27 “E então lhes disse: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” Jesus disse isso porque as autoridades religiosas ensinavam para o povo que o único motivo de Deus ter criado o homem era para que tivesse alguém para observar o sábado? 2.28 “Assim, pois, o Filho do homem é Senhor até mesmo do sábado.” Eu entendo que aqui Jesus estava dizendo que Ele era soberano e o que estava na frente deles que era Jesus, era mais importante do que tudo aquilo. Eu só não entendo porque que os adventistas argumentam sobre guardar o sábado!
Resposta: 
Aqui, Jesus restaura o verdadeiro propósito de Deus ao estabelecer o “sábado”, o dia do descanso, Deus o estabeleceu para o bem estar do homem, e não para que ele se tornasse um peso para o homem, um mero rito religioso cheio de regras e de preceitos humanos. No sentido espiritual o dia do sábado era apenas uma sombra do verdadeiro descanso que Cristo nos concedeu.

Então lhe disse: “Ninguém mais coma de seu fruto”. E os seus discípulos ouviram-no dizer isso.” Marcos 11.14 NVI 
O versículo mostra Jesus em um momento de ira, deixando claro a sua natureza humana ou tem outro significado?
Resposta: 
Não existe uma manifestação da ira de Deus nesse episódio, o que temos é um duplo ensinamento de Jesus, um explícito e outro implícito.

O primeiro, sobre a eficácia da fé e o poder da oração (cf. vv. 22-24);

O outro, diz respeito a juízo de Deus sobre os que têm aparência frutífera, mas espiritualmente são estéreis. A figueira era símbolo da nação de Israel que estava nesse estado, porém esse juízo se estende a todos que se dizem povo de Deus, que tem aparência, mas não tem frutos.

No v. 13, Marcos dá dois detalhes importantes: “a figueira tinha muitas folhas (…) não era tempo de figos”. Na figueira geralmente, o fruto é produzido a medida que as folhas crescem, portanto, mesmo não sendo a época, as muitas folhas indicavam a presença de frutos, mas não tinha, daí o juízo!

“Deus lhe respondeu: Eu serei contigo; e este será o sinal de que eu te enviei: depois de haveres tirado o povo do Egito, servireis a Deus neste monte.”
Êxodo 3.12 ARA
Quando Deus fala do sinal a Moisés, qual o significado? Ele volta e presta culto?
Resposta:
É exatamente isso, Deus estava deixando claro que quando ele chama para uma missão ele não nos deixa sozinhos e, coloca a nossa disposição os recursos necessários para realizarmos tarefas que aparentemente são difíceis ou até impossíveis. Assim, ao voltar àquele local Moisés deveria cultuar a Deus reconhecendo toda a provisão de Deus para execução de tão grande obra.

Em Marcos 13.40 b fala: ” estes receberão mais grave condenação “, então há diferença na condenação?
Resposta: O texto é Mc 12.40 “Não há diferença de condenação, a condenação é uma só, a separação eterna de Deus.” Porém, textos como este sugere que o Deus que sonda os corações usará de muito maior rigor para aqueles que pecam premeditadamente e se aproveitam da boa fé das pessoas.

Compartilhe

Este post está fechado para comentários.